Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

A Importância do Professor na Nossa Vida

É uma das profissões mais antigas e mais importantes pelo seu papel na formação do cidadão. Os pais entregam seus filhos em nossas mãos e confiam no desempenho do nosso trabalho, para que despertemos neles o gosto pelo aprender. 
Crianças e adolescentes necessitam de modelo para se construírem na sua liberdade e serem autônomos. Nos primeiros anos de vida, os modelos, as referências, são os seus pais; posteriormente, os modelos são buscados na escola, na sociedade. 
Certas coisas só se aprendem na escola, com a mediação de um ser mais experiente: o professor. Os professores são como mestres que levamos pela vida afora, que nos ensinaram o saber da vida em um quadro de giz. 
Ser professor hoje é viver o seu tempo com sensibilidade e consciência, precisa saber lidar com as diferenças, ter flexibilidade e ajudar o seu aluno a refletir, é ser um emancipador do saber. 
O professor é um parceiro de visão e experiência na construção do conhecimento, assumindo o seu papel de promotor, orientador, mediador, motivador e gestor da aprendizagem, deve ser fonte de motivação para o aluno. Como promotor da aprendizagem, facilita o acesso aos dados e informações, ao conhecimento acumulado pela sociedade, orientando, executando e avaliando eventos, experiências e projetos, para que ocorra a construção do conhecimento. 
A sociedade e, principalmente, o poder público devem se convencer de que necessitam de professores bem preparados e capacitados para que a educação melhore. 
A humanidade precisa de educadores com visão emancipada, que possibilitem transformar as informações em conhecimento e em consciência crítica, para formar cidadãos sensíveis e que busquem um mundo mais justo, mais produtivo e mais saudável para todos. 
Toda pessoa que trabalha com educação, seja na educação infantil, Ensino Fundamental ou Ensino Superior, está ajudando a formar cidadãos que construirão a sociedade em que vivem. 
Com tamanha importância na infância, todos nós lhe dizemos muito obrigado! 

Dia das Crianças

De acordo com a história e o significado da comemoração, cada país escolhe uma determinada data e certos tipos de celebração para lembrar de seus menores. Ao mesmo tempo, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) convencionou o dia 20 de novembro para se comemorar o dia das crianças.
A escolha desta data se deu porque nesse mesmo dia, no ano de 1959, o UNICEF oficializou a Declaração dos Direitos da Criança. Nesse documento, se estabeleceu uma série de direitos válidos a todas as crianças do mundo como alimentação, amor e educação. No caso brasileiro, a tentativa de se padronizar uma data para as crianças aconteceu algumas décadas antes.
Em 1923, a cidade do Rio de Janeiro, então capital do Brasil, sediou o 3º Congresso Sul-Americano da Criança. No ano seguinte, aproveitando a recente realização do evento, o deputado federal Galdino do Valle Filho elaborou o projeto de lei que estabelecia essa nova data comemorativa. No dia 5 de novembro de 1924, o decreto nº 4867, instituiu 12 de outubro como data oficial para comemoração do Dia das Crianças.
Entretanto, a data não se tornou uma unanimidade imediata. Somente em 1955, a data começou a ser celebrada a partir de uma campanha de marketing elaborada por uma indústria de brinquedos chamada Estrela. Primeiramente, Eber Alfred Goldberg, diretor comercial da empresa, lançou a chamada “Semana do Bebê Robusto”. O sucesso da campanha logo atraiu a atenção de outros empresários ligados à indústria de brinquedos.
Com isso, lançaram uma campanha publicitária promovendo a “Semana da Criança” com o objetivo de alavancar as vendas. Os bons resultados fizeram com que esse mesmo grupo de empresários revitalizassem a comemoração do “12 de outubro” criado pelo deputado Galdino. Dessa forma, o Dia das Crianças passou a incorporar o calendário de datas comemorativas do país

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Impreções sobre o filme "O Pianista" de Roman Polanski

Na aula de história assistimos o filme ''o pianista'', agora  temos de fazer uma resenha critica sobre o filme para português e história. O filme fala sobre a perseguição aos judeus poloneses pelos nazistas durante a 2º guerra mundial e retrata a luta pela sobrevivencia durante a invasão nazista à polônia.



segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Definição de Resenha Crítica

Resenha crítica é uma descrição que faculta o exame e o julgamento de um trabalho (teatro, cinema, livro, experiência científica, tarefa manual, etc). A apreciação necessita ser elaborada de maneira impessoal, sem demonstração satírica ou cômica. Contém posicionamentos de ordem técnica diante do objeto de análise, seguidos de um resumo do conteúdo e possível demonstração de sua importância.
Resenha Crítica é a apresentação do conteúdo de uma obra, acompanhada de uma avaliação crítica. Expõe-se claramente e com certos detalhes o conteúdo da obra para posteriormente desenvolver uma apreciação crítica do conteúdo.
A resenha crítica consiste na leitura, resumo e comentário crítico de um livro ou texto. Para a elaboração do comentário crítico, utilizam-se opiniões de diversos autores da comunidade científica em relação as defendidas pelo autor e se estabelece todo tipo de comparação com os enfoques, métodos de investigação e formas de exposição de outros autores.
Lakatos e Marconi (1996, p. 90) afirmam que:
Resenha crítica é uma descrição minuciosa que compreende certo número de fatos: é a apresentação do conteúdo de uma obra. Consiste na leitura, resumo, na crítica e na formulação de um conceito de valor do livro feitos pelo resenhista.
A resenha crítica, em geral é elaborada por um cientista que, além do conhecimento sobre o assunto, tem capacidade de juízo crítico. Também pode ser realizada por estudantes; nesse caso, como um exercício de compreensão e crítica.
A finalidade de uma resenha é informar o leitor, de maneira objetiva e cortês, sobre o assunto tratado no livro ou artigo, evidenciando a contribuição do autor: novas abordagens, novos conhecimentos, novas teorias. A resenha visa, portanto, a apresentar uma síntese das ideias fundamentais da obra.
O resenhista deve resumir o assunto e apontar as falhas e os erros de informação encontrados, sem entrar em muitos pormenores e, ao mesmo tempo, tecer elogios aos méritos da obra, desde que sinceros e ponderados.
Entretanto, mesmo que o resenhista tenha competência na matéria, isso não lhe dá o direito de fazer juízo de valor ou deturpar o pensamento do autor.

Definição de Resenha

A resenha é uma abordagem que se propõe a construção de relações entre as propriedades de um objeto analisado, descrevendo-o e enumerando aspectos considerados relevantes sobre ele. No jornalismo, é utilizado como forma de prestação de serviço. Pode ser texto de origem opinativa e, portanto, reúne comentários de origem pessoal e julgamentos do resenhador sobre o valor do que é analisado.
O objeto resenhado pode ser de qualquer natureza: um romance, um filme, um álbum, uma peça de teatro ou mesmo um jogo de futebol. Uma resenha pode ser "descritiva" e/ou "crítica".
Resenha é um texto que serve para apresentar outro (texto-base), desconhecido do leitor. Para bem apresentá-lo, é necessário além de dar uma ideia resumida dos assuntos tratados, apresentar o maior número de informações sobre o trabalho: fatores que, ao lado de uma abordagem crítica e de relações intertextuais, darão ao leitor os requisitos mínimos para que ele se oriente quanto ao grau de interesse do texto-base. Mas é bom lembrar que resenha não é um mero resumo, é mais que isso, deve apresentar mais informações e criar o interesse do leitor.
Quando se trata de resenha científica, ou trabalho acadêmico de divulgação, apresenta síntese e crítica sobre trabalho científico mais longo. Pode ser elaborado com base em leitura motivada por interesse próprio ou sob demanda editorial. Visa geralmente à publicação em periódico técnico ou mesmo visando divulgação de conhecimento ao grande público pela veiculação em mídia ampla. Nesses casos a resenha é, geralmente, feita por um cientista da mesma área de conhecimento do texto-base.
Além disso trata-se de um texto onde geralmente são sempre lidos por professores de diversas universidades, onde pontuam o grau de entendimento do mesmo para o assunto do texto compreendido.

Ex:Apesar de a internet ser uma rica fonte de conhecimento, que disponibiliza acesso aos mais diversos conteúdos para bilhões de pessoas e blá blá blá, faz tempo que venho pensando num de seus grandes problemas: não há sistematização e organização desse conhecimento.
Isto é, não basta que os 20 primeiros resultados do Google para “Livros de Machado de Assis” falem 2 parágrafos sobre o autor e fiquem por aí, só esperando que nós usuários entremos no site, percebamos que não há o que queremos, e então cliquemos em um anúncio publicitário. Não seria ótimo se no resultado do Google aparecesse apenas um site, com fotos do autor, biografia completa, listagem das obras com links para download e ainda algumas curiosidades históricas?

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Cartas Lunares

Autor:Rui de Oliveira

Voos Diversos

Autor:Wilson Pereira
Ilustrador:Angelo Abu

É um livro de poema que é dividido em etapas que cada uma conta uma historia diferente mas todas de romance.Achei muito bom tem alguns poemas engraçados.

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Parodia de Carlos Drumond de Andrade (E Agora José)

E Agora Aluno?



E agora,professora?
A aula começou,
A paz acabou,
o povo surgiu
e agora,professora?


Com a prova sem nome
Deichando por último
Eis que o aluno levanta
E minha prova professora?


Estas sem nome,
estas sem nota,
ja não pode passar
na escola ele vai ficar
e agora,aluno?


Aluno,e agora?
Se você chorasse
Se você torcesse
Se você falasse
Se você...
E agorá,aluno?


E agora aluno?
Os amores se foi
Os amigos se foi
E o que ficou?
O que ficou foi VOCÊ!